excell-bombas-Aumento-do-consumo-em-2019-

Aumento do consumo em 2019 deve impulsionar produção de embalagens

Via: DCI

Projeções de melhora do ambiente econômico criam expectativa de expansão para o segmento, após período de estagnação em que fabricantes tiveram que intensificar o foco nas exportações.
O mercado de papel espera que a retomada do consumo impulsione a produção de embalagens. Nos últimos anos, com a queda da demanda interna, empresas do setor têm reforçado as exportações.

“Há a perspectiva de melhora em 2019. O segmento de embalagens tem uma ligação muito forte com o PIB. Acreditamos no crescimento da demanda”, afirma o diretor comercial da Ahlstrom-Munksjö na América Latina, Luciano Neves.

O gerente de estudos econômicos da Pöyry, Manoel Neves, destaca que o papel para embalagem é diretamente beneficiado pela melhora do ambiente econômico. “É esperado um ciclo positivo e todo tipo de produto utiliza embalagens: alimentos, remédios, bens de consumo, entre outros.”

Diante desse cenário, a Ahlstrom-Munksjö investiu cerca de R$ 100 milhões em sua fábrica de Jacareí (SP) para ampliar a capacidade de produção de papéis especiais revestidos (utilizados na fabricação de embalagens). “Produzimos 105 mil toneladas de papel por ano. Com essa expansão, 100% dessa capacidade poderá ser convertida em papéis especiais”, explica Luciano Neves.

O executivo conta que em 2018 a demanda do mercado interno foi abaixo do esperado. “Tem sido difícil, cresceu muito pouco. Enxergamos a demanda bem morna, parecida com 2017.”

Devido a esse panorama, a empresa teve que ajustar o planejamento original para manter a produção em 100% da capacidade instalada exportando mais. “Orientamos nosso negócio para desenvolver mercado e exportar mais. Nosso foco é América Latina e também buscamos os Estados Unidos”, conta Luciano Neves, que estima que as exportações totalizam cerca de 30% da produção nos últimos dois anos. “Anteriormente, era em torno de 10%.” A empresa espera que, com a melhora da economia brasileira, esse percentual de exportações seja reduzido. “Quando o produto vai para exportação, o custo logístico é maior”, destaca. Além do investimento na unidade de Jacareí, a Ahlstrom-Munksjö comprou uma fábrica de papéis especiais da MD Papéis, em Caieiras (SP).

O investimento foi próximo de R$ 400 milhões. “Temos confiança no mercado brasileiro e na América Latina. Decidimos investir antes das eleições presidenciais e acreditamos no crescimento do segmento”, afirma o executivo.
Higiene e consumo

Manoel Neves destaca que, além do mercado de embalagens, o segmento de papel tissue (para uso higiênico) deverá se beneficiar da melhora do ambiente econômico. “É um setor diretamente ligado a renda, saúde e higiene, que já vêm crescendo”, pontua.

A Solenis, fabricante de especialidades químicas para diversos mercados, como celulose e papel, petróleo e gás e mineração, avalia que teve um ano de 2018 positivo, mas abaixo das expectativas. “Houve alguma frustração com o desempenho econômico regional e fomos afetados pela inflação de matéria-prima e valorização do dólar”, afirma o vice-presidente América Latina da Solenis, José Armando Piñón Aguirre.

O executivo conta que a empresa cresceu acima de 10% neste ano, principalmente por conta do mercado de papel e celulose. “É uma área que tem uma competitividade muito alta. Vimos um crescimento importante no segmento de tissue e esperamos crescer juntos com nossos clientes no segmento de embalagens.”

Aguirre conta que a inflação de insumos utilizados pela companhia foi ocasionado por furacões que atingiram fábricas do setor químico nos EUA e pelo fechamento de plantas na China, devido a restrições ambientais. “Afetou a oferta mundial de matéria-prima. Com a desvalorização cambial, isso ficou ainda mais elevado.”

A empresa tem três unidades fabris no Brasil, localizadas no interior de São Paulo, e espera crescer pelo menos duas vezes o PIB em 2019. “Nos últimos anos, a economia do País encolheu, mas sempre temos crescido. Procuramos nos preparar, independentemente do cenário macroeconômico. Mas o crescimento nos beneficiaria”, diz Aguirre.

Fonte: DCI | www.dci.com.br

Postado por: Excell Bombas | www.excellbombas.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>